Rádio

Tudo estava igual
Nas curvas da estrada
Quando a vida lhe beijou
E lhe tomando, fê-lo ser mais
Ousando mais
Fazendo mais do que podia.

E tendo mais da vida e de si
Disse o que era e não se desfez
Pintando na parede um auto-retrato
Dançando no ritmo falso do bordel

E ela, quando engoliu tudo
de olhos fechados
Lhe disse com os nervos em transe
Que te quero e nada mais

Insegurança

Anúncios

3 pensamentos sobre “Rádio

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s