Saudade

Pao de Acucar

Enquanto eu suporto a saudade
Fico na vontade de não suportar
E vou conhecendo a cidade
Pedaço e vontade, favela e mar
Cada recanto escondido
Paraíso perdido e sem meu lugar
Vou suspirando tristonho
No meu abandono, querendo chorar
Mas seu eu choro, fui eu
Pois ela não me esqueceu
E a saudade vai doendo
E o peito é veneno
Que o amor inocula com o tempo
Que pode ir embora no vento
Ou pode ficar pra sempre
Então vou ficando doente
De saudade
Só saudade
Muita saudade do amor que é só dela
Só pra ela e por ela
Aquarela

Anúncios

16 pensamentos sobre “Saudade

  1. Quem diria…

    eu que nunca liguei muito pro seu blog, e tanto que vc me cobrava, agora é uma das melhores maneiras de sentir voce e estar mais perto.

    é estranho e ao mesmo tempo engraçado, como posso saber o que cada palavra diz (eu que nunca soube nada de poemas, tao pouco entender a alma deles), uma vez que faço parte desse turbilhao que é a vida…

    e tenho que concordar contigo, quando tu dizias que a melhor ispiraçao ao artista é a tristeza, tenho feito coisas belissimas (nunca me dediquei tanto a faculdade como atualmente) e voce, realmente, ta escrevendo muitissimo bem…

    agora voce sera obrigado a fazer um livro deles…. agora nos temos uma OTIMA historia de AMOR!

    e aproveito a oportunidade para fazer uma declaraçao em frente a todos que te admiram:

    TE AMO MUUUUUUUUUUUIIIIIITO!

  2. Querido, querido.

    Não doa tanto, que o peito da maldita
    nem acredita, torce junto contigo, e te
    suplica: vem sorrir, vem sentir, tudo o
    que é mulher, é a dor, é morrer de amor.

    Eu te espero no Malditas.

    Beijos, beijos

    __Felícia__

  3. Ai Poeta, que lindo isso … pena que é triste … . Mas acho que só quando estamos muito tristes mesmo é que escrevemos as coisas mais lindas do amor … Até qdo estamosa felizes de paixão não escrevemos tão lindo assim .. Eu acho.

    É, eu tb acho

    xêro!
    🙂

  4. Muito legal mesmo!!

    Vc é um ser impressionante!
    Que Deus continue iluminando suas idéias para que possa expô-las cada dia mais.

    Parabéns pelo texto!

    Nossa, obrigado. Pelo visto vc gostou mesmo…
    Abração

  5. Dói demais, não é? E eu estava com saudades de aqui. E apareci pra amenizar. Porque ainda não esqueci da minha dívida…

    rsrsrs.
    Acho que vc não vai pagar…

    Mas conta, a quantas anda a maravilhosa cidade? E você, como vai nesse Rio?

    Como sempre, um turbilhão…

    Um beijo.

  6. Pingback: 400 « Poeta Matemático

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s