Do espírito

Quem suspirou no pedaço da faca
Quem se espelhou no suspiro da faca
Corre depressa
Corre sem fim
Tem esperança,
Tem que sorrir
E vai caminhando
Vai suspirar
Pernas gingando
Cortando o ar
E o mar
que é céu azul na minha terra
Que é serra
e sertão
Solidão que não passa
Não tem mais graça
É só sangue
Do espírito
Sangue e suplício
Precipício
E camada de ilusão
Canção
E bênção
Pro espírito
Dança dos sumiços
Verdades e vestígios
Provas e litígios
Das minhas pernas que sacodem
Na ritmo insensível
Dos gemidos
Que escorrem
Das sacadas dos edifícios
Em singulares poças
De espíritos

Anúncios

14 pensamentos sobre “Do espírito

  1. Tem um ritmo gostoso e que leva a gente a soltar a imaginação… ah, Poeta… pena que hoje eu não esteja mto pro sentimentalismo. Teria sentido mto melhor a vibração!!!

    Continue escrevendo bem assim! Besossssssss!

  2. Quando comecei a ler, pensei: Ah, não, outro otimista felizinho escrevendo coisas bonitinhas por aí.
    Mas aí você me surpreendeu com
    “É só sangue
    Do espírito
    Sangue e suplício
    Precipício
    E camada de ilusão”

    Gostei, gostei.

    Obrigada pelo elogio no blog.

  3. Olá estava procurando imagens de flores e encontrei seu blog(ue) fiquei contente ao encontrar seus trabalhos, participo de grupos de poesias e reflexões no yahoo onde se costuma fazer todo o possível para conservar os créditos dos autores, no caso assina o Poeta Matemático? Gostaria de saber se você me permitiria divulgar uma amostra das suas poesias. Obrigada pela atenção, um abraço da Rosangela.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s