O Palhaço

Tomba na cana o Bagaço
Festa na casa do Palhaço
Pinta-se a cara: eu que faço
É minha metade e pedaço
É dobro do meio de mim
Sorrindo devagar enfim
Desenho de pena: nanquim
Ela olha pra tudo que faço
Malabarista e palhaço
Dono de bordel de ilusão
Pra esquecer solidão
Eu venho sorrindo demais
Fundindo na luta que faz
Meu coração difundir
A luta é metade e pedaço
Torta na cara e regaço
Me dividindo em bagaço
É só pra me seduzir
Menina me faz sorrir
Menina me faz dançar
Louco de varar o ar

P.S.: Essa semana eu voltei com carga total no MORANGO COM GENGIBRE. Tá quente, viu? Tomem em doses homeopáticas…
Depois não digam q não avisei…
Anúncios

7 comentários sobre “O Palhaço

  1. Nossa, seus poemas são explêndidos! Eu, na minha ingênua idade encantei-me com a sua forma de brincar, expressar, seja lá o que for, com as palavras, com as frases, com os versos…
    Amei mesmo!
    São lindos!Parabéns!

    Beijos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s