Sol…

 

Man Ray
FOTO: MAN RAY

 

Lágrimas frias

Fim dos meus dias

Inferno coroando poesias…

Se eu pudesse, voltaria

A sorrir e cantar

Batida de maracujá

E emoção sentida

Vai-se acabando a vida

Vou me remoendo

Flores, rododendros

Azaléias, e bonzais

Lágrima que se esvai

Conhecendo a noite

Fazendo em mim açoite

Informando o caminho

Que trilho, assim, sozinho

Suspirante e inocente

Dor que doma a gente

E faz GRITAR!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

 .

É outra poesia

Acabou a alegria

Palatar que sofria

Luz de dentro, patamar

Eu quero meu jantar

Chega de esperar

Vou tomar os braços

Conhecer o outro lado

Não perecer calado

Olhos nos meus olhos

Espelho, lábios grossos

Brisa delicada

Flores na sacada

Do meu prédio no domingo

Vou sonhar sozinho

E indecente

Coração incandescente

Procurando mais sorrisos

Inventando prejuízos

Colorindo estradas nuas

Palavras frias tuas

Vão me fazer chorar…

 .

E choro,

Pode crer que choro

E não há colo

Ou sorriso

Que me faça mudar…

 

Anúncios

12 pensamentos sobre “Sol…

  1. Alágrima quente/ se faz presente, no dia a dia e no meu sonhar/ Quando cai no meu colo esfria e me faz soluçar…/ Solidão é omo máquina que nos fere e que acaba por nos tornar vazios e estranhos/ Em meio a Vida que é um show a parte/Mas, mesmo assim o meu viver pede ao Mundo: Pare…. “Qurero descer!”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s