Assim disse Zaratrusta

Cai a pedra do céu
E circula o chapéu
A voar sem parar
A saber procurar
Esquecer sem saber

Cai o pedaço e retrato
Outro beijo, abraço
Escondido no peito
Procuro o respeito
E vôo demais

Ai que me dói esquecer
O silêncio me mata
O barulho escapa
De perto sou nada
De perto sou tudo
Vagando no mundo
Fazendo palavras
Confissões amargas
Sou perto, sou certo
Sou ar

Ai que me dói o suspiro
Não nego, não faço
Não saio comigo
Não teço, não digo não!!!

Zaratrusta
Flor flamejante
Alma cadente
Estrela e balão
Zaratrusta
Revolução
Tremeluzente
No peito doente
Finco minha própria mão

Zaratrusta
Assim falou
Zaratrusta
Assim escreveu
Antes da morte
Antes do fim
Cadáver errante
Erra pra mim
Flor lacinante
Brilha demais
Alma cadente
Estrela fugaz

Zaratrusta
com seus morcegos
E espetáculos
Pontas dos dedos
Receptáculos
Mundo que gira
Nas páginas
Mais destemidas
Almas vazias
Tupinambás

Anúncios

8 pensamentos sobre “Assim disse Zaratrusta

  1. Zaratrusta,texto que li na universidade, na disciplina de filosofia,intrigante pelas metáforas
    usadas em sua linguagem,mas as intérpretações
    diversas era oque mas me fascinava, pois a lógica
    deste texto era tentar entender e se identificar com oque zaratrusta pensava”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s