O que é ao longe

 

Toco-te.

Fecho os olhos

e toco-te.

Sinto o perfume

o sabor,

o macio inerte da pele

[tua]

Toco-te.

Encanto-me com as

garantias e submisso

brado a poesia,

o canto silente

e pernicioso

pensando na língua

        [tua]

Meu peito é um lamento

impávido e errante

vacilo por um momento

sem mar, sem norte, sem lar ou sem vento

marcho nas montanhas da tua pele

    [nua]

Procuro tua boca

meu ar, meu gosto

minhas sinestesias

estonteantes

palavras e gestos

toques e versos,

sentimentos disformes,

a loucura, o brilho

o tremor involuntário, os acordes

dos corpos

tocados em sinfonia,

minha pele e a pele

        [tua]

Soltas um vagido

um suspiro

uma loucura capaz de matar

e matas:

Morro.

De ausências.

De lembranças.

De fantasias.

De excentricidades.

Morro de saudades.

Morro de ti, augusta dama

com um toque teu, minh’alma se inflama

e voa longe, alcança mares, ilhas, continentes

embarca em viagens inconsistentes

na busca de um gosto,

um regaço que seja,

um recanto para unir minha boca

    [à tua]

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s